MontaGEM Da mesa cirúrgica

 

Paramentado, o instrumentador já pode montar as mesas de instrumentação e a mesa auxiliar móvel (Mesa de Mayo).

Antes de receberem os instrumentos, as mesas devem ser cobertas primeiramente por um campo estéril impermeável de material plástico. Em seguida, o auxiliar da sala abre as caixas com o instrumental, cuja cobertura externa não é estéril.

Então o instrumentador pode pegar as caixas estéreis e apoiá-las sobre uma mesa auxiliar para retirar e organizar os instrumentos. A forma de organização da mesa cirúrgica pode variar conforme a experiência e preferência, porém, como forma geral, podemos orientar: Todos os instrumentos e materiais de uso previsto para o procedimento devem estar disponíveis e acessíveis, e podem ser dispostos em uma mesa principal e em mesas auxiliares.

Na mesa principal, os instrumentos costumam ser separados conforme seu grupo o tempo cirúrgico em que são utilizados. Veja o exemplo abaixo:

 

Mesa Cirurgica

Fixação

Os instrumentos de fixação, como pinças de campo, podem ser colocados em um canto superior, pois serão utilizados ligo no início, após a colocação dos campos cirúrgicos, e não mais ocuparão a mesa.

Limpeza

Os instrumentos e materiais de limpeza também podem ocupar um lugar na parte superior da mesa. Pode-se precisar de cuba com antisséptico, gazes, compressas, gazes montadas em pinças, bonequinhas de algodão apreendidas em hemostáticos, cubas com soro fisiológico, etc.

Apresentação / Especiais

Os instrumentos de apresentação e os especiais também podem ocupar a parte superior da mesa, dispostos conforme o espaço disponível e o tempo cirúrgico em que serão utilizados. Caso necessário, podem também podem ser dispostos em mesas auxiliares.

Síntese / Dissecção

Os instrumentos utilizados para síntese e dissecção de tecidos podem ser dispostos próximo aos instrumentos de diérese, ou podem ocupar o centro da mesa, dependendo do espaço disponível. As pinças podem ser agrupadas de acordo com seu tipo e tamanho. Os fios podem estar montados ou fechados. As agulhas devem ter sua ponta virada para cima, evitando-se que perfurem o campo de cobertura da mesa e se contaminem.

Preensão / Hemostasia

Ao lado, pode-se agrupar os instrumentos de hemostasia e de preensão conforme seu tipo: vários Kellys, Halsteads, etc, primeiro os de hemostasia definitiva e depois os de hemostasia temporária (atraumáticos). Anéis para cima e pontas para baixo; cremalheiras fechadas. Os instrumentos de cabos longos e especiais, de tempos cirúrgicos mais tardios,intra-cavitários, podem ser dispostos na parte superior da mesa. Pode-se facilitar o apoio dos instrumentos de anéis e cremalheira colocando-se sob eles um rolo de compressas para deixa-los mais estáveis e organizados.

Diérese

No canto inferior, pode-se dispor os instrumentos de diérese. Bisturis montados, com a lâmina cortante para cima e para dentro. Ao lado, tesouras retas e curvas de mesmo tipo (Mayo e Metzembaum), com a ponta para baixo e para a borda da mesa.